Buscar
  • marketing85568

Duque passará por reestilização em seu paisagismo

Atualizado: 5 de jul.




O Clube Duque de Caxias se prepara para uma reestilização na sua área ambiental, em especial no seu paisagismo. Nos próximos meses, o Clube passará por processos de podas e corte de árvores, com o plantio de novas espécies, para que a Duque chegue ao patamar de clube ecologicamente correto.


A Comissão do Meio Ambiente do Clube, que foi criada em 2021, é responsável por desenvolver pesquisas, diagnósticos e acompanhar estudos técnicos que subsidiem a nossa política ambiental, visando a recuperação e preservação dos recursos naturais e/ou critérios de manejo.


Quem coordena a comissão é o engenheiro agrônomo Cirino Corrêa Junior, que explica: “O Clube tem uma história centenária e o plantio foi feito de maneira aleatória e por pessoas leigas, e agora essas plantas estão ficando velhas, doentes, infectadas e outras atacadas por pragas. Então temos aqui um problema bastante grave”, afirma Júnior.


A idade avançada das árvores e a inversão térmica que enfrentamos pelas mudanças ambientais, com a presença mais constante de vendavais, podem ser favoráveis para quedas de árvores e se torna um risco aos associados, já que ocupam 48% do terreno da Duque.


Com isso, a Diretoria do Meio Ambiente já solicitou à Secretária Municipal do Meio Ambiente (SMMA), e foi atendida, a autorização para realizar a poda e o corte de algumas árvores. O processo todo começará ao longo do mês de julho.


“Vamos fazer uma poda seletiva de árvores prioritárias e o corte de árvores problemáticas. Tem um grupo de árvores que já estão marcadas”, explana o coordenador.


Além das árvores problemáticas, também serão cortadas as árvores espatódeas, que tem o cultivo proibido em Curitiba (LEI Nº 15.567 de 12/12/2019) por conta dos riscos que traz ao ecossistema.


A fase seguinte às podas e os cortes é a recomposição. Para fazer a reestilização do Clube será feito o plantio de novas mudas. A Duque já as possui para a plantação, sendo algumas oriundas do Instituo Ambiental do Paraná (IAP).


A ideia é que o Clube tenha mais espécies nativas, uma vez que, atualmente, cerca de 80% das árvores no terreno são exóticas. “Vamos plantar essas espécies para dar condições de pássaros, abelhas se alimentarem e terem um equilíbrio na nossa área”, pontua Júnior.


Essa é a primeira parte do projeto reestilização. O terreno do Clube foi divido em 8 talhões e, ao término do processo em todos esses ambientes, a estilização passará para outros locais, por critério de prioridade, como o Estacionamento.


0 visualização